À medida que sua renda aumenta mulheres mais escolarizadas ficam menos propensas em fazer rastreio do cancro do colo

INICIO > Ultimas noticias

Não obstante as mulheres economicamente desfavorecidas possam estar dispostas a aceitar serviços de saúde com fraca responsividade, à medida que sua renda e educação melhoram, suas demandas por aspectos de cuidado não relacionados à saúde também aumentam e essas demandas tornam-se cada vez mais influentes em sua decisão de usar serviços de rastreio do cancro do colo do útero em Moçambique.

Estes são os achados do estudo publicado no dia 8 de agosto de 2018 pelos Drs Floriano Amimo, Troy D Moon, Anthony Magit, e Jahit Sacarlal​ na revista científica Journal of Global Infectious Diseases.

redes sociais



Twitter
Facebook
Google


Acessar Conta
Imprimir


Noticias Relacionadas